EVANGELISMO RASO E SUPERFICIAL – O PROMOTOR DE FALSOS CRISTÃOS E O AGENTE DO FALSO SENTIMENTO DE MISSÃO CUMPRIDA

evangelismo

Sei que o título deste pequeno texto deve ter chamado a sua atenção e, talvez por isso você esteja diante destas letras, mas gostaria de avisá-lo/a que talvez não se sentirá muito confortável ao terminar a leitura deste pequeno texto, a menos que queira sair daquilo que chamo aqui de EVANGELISMO RASO E SUPERFICIAL – O PROMOTOR DE FALSOS CRISTÃOS E O AGENTE DO FALSO SENTIMENTO DE MISSÃO CUMPRIDA.

Antes de prosseguirmos, precisamos definir os termos e saber sobre o que estamos falando, talvez você seja expert, é possível que você seja até mesmo um líder eclesiástico, ou, está em formação para tanto, então, antes de prosseguir com a leitura, sugiro que abra sua maravilhosa Bíblia e leia 1Co 8.2. Agora sim, vamos lá:
  • EVANGELISMO: Doutrina da Igreja evangélica. Ponto de vista que consiste em fundamentar TUDO no Evangelho [1] – grifos meus. Evangelismo é fazer a Palavra de Deus chegar ao conhecimento do povo [2] – grifo meu.
  • SUPERFICIAL: Que não vai ao fundo das coisas [3] – grifo meu.
Fica claro que EVANGELISMO, a luz das definições supracitadas, não é algo que comumente é ensinado no mundo evangélico, talvez nem na sua igreja tenham te ensinado o real significado do tão aclamado (será?) EVANGELISMO. É possível que seu conceito de EVANGELISMO esteja na esfera da SUPERFICIALIDADE, isto é, não seja fundo e se resuma a isto: anunciar ao mundo que JESUS CRISTO morreu por ele.
Talvez, nesse momento, alguém se levante e exclame: “mas Ele morreu pelo mundo mesmo e as pessoas precisam saber disso!”. Tal afirmação é fruto do conceito SUPERFICIAL que se tem sobre EVANGELISMO. Perceba o absurdo dessa definição de EVANGELISMO: se EVANGELISMO é simplesmente o KERYGMA -PROCLAMAÇÃO- da morte de JESUS CRISTO pelo mundo podemos considerar o mundo EVANGELIZADO, não? Podemos realmente concordar que o Brasil é um país cristão, não?
Se EVANGELISMO é somente a PROCLAMAÇÃO da morte de JESUS CRISTO e muitas pessoas já ouviram sobre isso, por qual motivo, ainda há tantas pessoas no Brasil e no mundo que não vivem de acordo com a vontade de Deus, expressa em Sua Palavra? Permita-me piorar a situação: por que tantas pessoas dentro da igreja não vivem de acordo com a mensagem PROCLAMADA? Talvez a resposta a esta pergunta seja tão simples, mas não tão simples de dizer: são FALSOS cristãos gerados pelo EVANGELISMO SUPERFICIAL.
Não perdendo o foco, vamos lembrar o que estamos discutindo:EVANGELISMO RASO E SUPERFICIAL – O PROMOTOR DE FALSOS CRISTÃOS E O AGENTE DO FALSO SENTIMENTO DE MISSÃO CUMPRIDA.
O efeito dominó que está presente no título deste texto é este:
  • O EVANGELISMO SUPERFICIAL;
  • CRIA CRISTÃOS FALSOS;
  • E GERA UM FALSO SENTIMENTO DE MISSÃO CUMPRIDA.
Vamos agora abordar ponto por ponto e mostrar que o nosso raciocínio está correto.
1. O EVANGELISMO SUPERFICIAL
Precisamos lembrar da definição de EVANGELISMO que apresentamos: Doutrina da Igreja evangélica. Ponto de vista que consiste em fundamentar TUDO no Evangelho; Evangelismo é fazer a Palavra de Deus chegar ao conhecimento do povo.
Será que esta definição se enquadra com a definição das Escrituras? Vamos conferir:

“Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a obedecer a tudo o que eu lhes ordenei. E eu estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos.” (Mateus 28.19-20).

Pois bem, parece-nos que a definição da PROCLAMAÇÃO do Senhor JESUS CRISTO é um pouco diferente do que é dito, do que é praticado e é possível que você esteja se sentindo confrontado, não se assuste, é normal, deixe que a verdade brilhe diante de seus olhos, sim, a VERDADE, pois o que está sendo ensinado e praticado por muitos, não tem apoio na Escritura e não pode ser chamado de EVANGELISMO.
O imperativo do Senhor JESUS CRISTO, no texto de Mateus 28.20 é omitido em muitos lugares, pois o que ele manda fazer é ENSINAR A OBEDECER A TUDO QUE ELE ORDENOU. Uma pergunta surge imediatamente: quando você e seu grupo de evangelismo saem para EVANGELIZAR, o EVANGELHO é explicado? As pessoas que ouviram a mensagem recebem visitas para a explicação do Evangelho? Possivelmente não, pois anunciar simplesmente que JESUS CRISTO morreu por elas é mais confortável e não envolve ENSINAR sobre o pecado, sobre a ira Deus que paira sobre a cabeça dos pecadores, sobre a LEI santa de Deus que revela seu caráter SANTO e expõe a natureza ímpia e suja do pecador; É MAIS FÁCIL FALAR QUE JESUS MORREU POR ELA.
Essa é a grande contribuição desse EVANGELISMO SUPERFICIAL, ele omiti a verdade, promove falsos cristãos – é por isso que há pessoas que se dizem cristãs, mas nem se importam em OBEDECER A TUDO QUE ELE ORDENOU, afinal tais pessoas estão acreditando que JESUS MORREU POR ELAS e isso basta.
2. FALSOS CRISTÃOS
Já falamos um pouco sobre eles aqui, mas olhemos o que O Senhor JESUS CRISTO diz sobre eles:

“Nem todo aquele que me diz: SENHOR, SENHOR, entrará no Reino dos céus, mas apenas aquele que faz a vontade de meu Pai que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: ‘SENHOR, SENHOR, não profetizamos em teu nome? Em teu nome não expulsamos demônios? Então eu lhes direi claramente: Nunca os conheci. Afastem-se de mim vocês, que praticam o mal!” (Mateus 7.21-23).

Muito poderia ser dito acerca deste texto, que é evitado por muitos, mas destacarei duas ênfases dele:
             1º ênfase: A expressão SENHOR, SENHOR
“(…) Um homem também pode enganar-se dolorosamente e sinceramente imaginar que está andando pela estrada certa quando não está. Pode empregar o vocabulário do crente, repetir as fórmulas do crente, recitar o credo do crente, e tomar parte nas atividades do crente, sem ser crente de verdade. (…) Essa expressão é, na verdade, um modo de dizer semítico – um hebraísmo – (…) Jesus afirma aqui com grande ênfase que a conduta correta, o fazer a vontade do Pai, e não a adoração de lábios, é que constitui o passaporte para a travessia da porta que conduz a vida e que resulta num veredicto de absolvição NAQUELE DIA (…)” [4]. Os falsos cristãos são aqueles que estão ACREDITANDO em sua profissão de fé – SENHOR, SENHOR-, que JESUS CRISTO morreu por eles, mas pouco se importam em OBEDECER A TUDO QUE ELE ORDENOU (tal atitude revela que JESUS CRISTO nunca morreu por eles) , afinal, nada disseram a eles sobre isso, JESUS CRISTO MORREU POR ELES E ISSO É O QUE IMPORTA. O modo de viver desses cristãos nos levam a segunda enfase do texto.
            2º ênfase: A expressão PRATICAM O MAL
O verso 23 termina com a seguinte expressão: “Afastem-se de mim vocês, que praticam o mal!”. A palavra grega traduzida por praticam o mal é a palavra ἀνομίαν -ANOMIAN-, ela é composta pela palavra NOMOS -LEI– e o advérbio de negação A – NÃO-. Isso significa que tais pessoas são fora da LEI, em outras palavras, estão vivendo de uma maneira contrária a TUDO QUE ELE ORDENOU. E por que tais pessoas estão vivendo assim? A resposta é simples, mas não simples de ser dita: disseram para ela em um EVANGELISMO, que JESUS CRISTO MORREU por ela e isso basta. Já vimos que tal conceito de EVANGELISMO está equivocado, tanto no sentido bíblico, quanto secular.
3. O SENTIMENTO DE MISSÃO CUMPRIDA
E quanto ao sentimento de MISSÃO CUMPRIDA?
É aquele sentimento que afirma: “fiz minha parte, missão cumprida.”. Eu espero, sinceramente, que após a leitura deste pequeno texto, tal sentimento NUNCA MAIS tome o seu coração, a menos que você esteja ENSINANDO A PESSOA A OBEDECER A TUDO QUE ELE ORDENOU, do contrário, mude o nome daquilo que chama de EVANGELISMO, ponha qualquer outro nome, menos EVANGELISMO.
Se você é um líder eclesiástico, sua situação é pior ainda, pois você não foi chamado para pregar uma mensagem que passe a mão na cabeça de ninguém, você foi chamado para anunciar TODO o conselho de DEUS:

“Pois não deixei de proclamar-lhes toda a vontade de Deus.” (Atos 20.27).

 CONSIDERAÇÕES FINAIS
EVANGELISMO está intimamente ligado com doutrina, ensino, discipulado; qualquer tipo de evangelismo que não confronte a pessoa com seu pecado e explique o significado do EVANGELHO, não é EVANGELISMO, não passa de palavras jogados ao vento!
Por isso que é muito mais fácil iniciar com “Jesus morreu por você”, do que iniciar com o “deixe-me te explicar o evangelho”; por isso que das 100 pessoas que vão à frente, no apelo emocional do pastor, apenas 5 permanecem! Por isso que jovens querem ATIVISMO na igreja, mas não querem Cristo!
Precisamos pregar e ensinar sobre Cristo “e este crucificado, que é motivo de escândalo para os judeus e loucura para os gentios” (1Co 1.23); para os perdidos, isso é loucura, para os salvos, é o poder de Deus (1Co 1.18). Que O Espírito Santo ajude a Igreja de Cristo a voltar ao Evangelho, que Ele traga um avivamento sobre Sua Igreja para que ela possa levar vida àqueles que tanto precisam da mensagem pura e verdadeira do evangelho e, sobretudo conscientize os líderes sobre a seriedade do EVANGELISMO, discipulado e da pregação!
Finalizo este pequeno texto com a frase do puritano John Owen e até parece que ele enfrentava algo parecido em seu tempo:
“Quão contrário é à regra do evangelho, conclamar alguém a crer que Cristo morreu por ele em particular, antes que esteja convencido:
A. Da verdade do evangelho em geral,
B. de que a fé é o único caminho da salvação,
C. de que ele precisa de um salvador, e
D. de que Cristo pode salvá-lo.
(…) Depois disso tudo, e não antes, vem a segurança do amor de Deus e da morte de Cristo pela pessoa em particular, baseada no fato de que ela foi CAPACITADA a realizar os quatro primeiros atos de fé (sem a ajuda do Espírito de Deus, nenhuma das coisas anteriores pode ser realizada, e muito menos a última)” [5].

REFERENCIAS

[1] Dicionário online de português – http://www.dicio.com.br/evangelismo/

[2] Dicionário informal de português – http://www.dicionarioinformal.com.br/evangelismo/

[3] Dicionário online de português – http://www.dicio.com.br/superficial/

[4] TASKER, R. V. G. MATEUS – introdução e comnetário. São Paulo: Vida Nova, pg. 67.

[5] OWEN, John. Por quem Cristo Morreu? São Paulo: PES, pg. 111, 112.

Anúncios